Descubra os novos dados sobre o potencial anti-inflamatório de SLActive®

Excerto
exclusivo da
apresentação do
Prof. Nicolau –
EAO 2016

Carga
imediata

Elevado nível de
previsibilidade com
carga imediata

Pacientes com
problemas médicos

Taxas de sucesso notáveis
em grupos de pacientes
com problemas médicos

Enxerto ósseo
aperfeiçoado

Formação significativamente
maior de osso novo
agregado

Um novo padrão de sucesso.
Um desempenho que ultrapassa a imaginação.

Em colaboração com grandes médicos dentistas de nível internacional, a Straumann tem estudado o desempenho clínico dos implantes SLActive® sob as mais exigentes condições médicas e protocolos de tratamento para demonstrar a extraordinária capacidade de cicatrização da superfície SLActive®.

À medida que novas conclusões surgem e novos dados vão sendo disponibilizados, descubra como pode beneficiar da superfície SLActive® de alto desempenho para promover as capacidades de cicatrização dos seus pacientes.

 
 
 
taxa de sobrevivência
do implante com
carga imediata
após 10 anos2
 
98,2%
taxa de
sobrevivência
Estudo multicêntrico
controlado e aleatorizado
(30 pacientes, 39 implantes)

TAXA DE SUCESSO DOS IMPLANTES
EM PACIENTES QUE RECEBERAM
TRATAMENTOS DE
RADIOTERAPIA E QUE
POSSUÍAM OSSO COMPROMETIDO,
APÓS 1 ANO3

100%
taxa de
sucesso

Ensaio clínico
aleatorizado
(19 pacientes, 97 implantes)

TOP

Carga imediata

com resultados duradouros.

A carga imediata permite ao paciente beneficiar imediatamente da restauração após a colocação do implante.
No entanto, este exigente protocolo comporta um risco mais elevado de falha do implante.

taxa de sobrevivência
do implante com
carga imediata após
10 anos2
98,2%
taxa de
sobrevivência
Estudo multicêntrico
controlado e aleatorizado
(30 pacientes, 39 implantes)
  • Novos dados de longo prazo de um estudo multicêntrico, controlado e aleatorizado demonstram um desempenho impressionante da superfície SLActive® com carga imediata.
  • Na verdade, os implantes SLActive® registaram uma taxa de sobrevivência a 10 anos de 98,2 % neste protocolo complexo.2

Principais investigadores do estudo

TOP
Descarregar descrição geral do estudo
TOP

SLActive® em pacientes que receberam
tratamentos de radioterapia.

Previsibilidade que ultrapassa as expectativas

Um dos grupos mais difíceis de pacientes para o tratamento com implante inclui pacientes que foram submetidos a uma combinação de cirurgia oncológica, quimioterapia e radioterapia. A qualidade óssea destes pacientes foi gravemente comprometida.

Desempenho da superfície SLActive® em pacientes que receberam tratamentos de radioterapia

Acompanhamento a 1 ano3

1 paciente excluído do estudo devido a recidiva do tumor. O gráfico baseia-se em 19 pacientes com 97 implantes.

Acompanhamento a 5 anos13,14

Excluindo outros 4 pacientes falecidos com cancro. O gráfico baseia-se assim em 15 pacientes com 79 implantes.

Ensaio clínico aleatorizado:3
  • 102 implantes, 20 pacientes
  • Radioterapia e quimioterapia pós-cirúrgica para carcinoma oral
* Critérios de sucesso segundo Buser D. et al. Estabilidade a longo prazo de implantes osteointegrados em osso aumentado: Estudo prospectivo de 5 anos em pacientes parcialmente edêntulos. Int J Periodont Restor Dent. 2002; 22: 108–17.
** Ajustada, excluindo os pacientes falecidos por causas oncológicas.

Acompanhamento a
5 anos: publicação mais recente

O que dizem os médicos dentistas

TOP


BOLETIM NOTICIOSO do Dental Tribune International

Assista à entrevista com o Professor Nelson para saber mais acerca do estudo e dos desafios relacionados com a reabilitação protética de pacientes submetidos a radioterapia.

Descubra como os implantes SLActive® melhoraram a qualidade de vida destes pacientes.

TOP
Descarregar descrição geral do estudo
TOP

Desempenho irrepreensível.

Mesmo em pacientes diabéticos.

  • Os pacientes com diabetes apresentam uma capacidade de cicatrização reduzida,15,16 colocando os implantes em risco
  • A nível mundial, 1 em 6 adultos com idade igual ou superior a 60 anos  tem diabetes.17

Devido à prevalência da diabetes tipo 2 em constante crescimento, como podem os médicos dentistas lidar com este risco, particularmente em pacientes idosos?


EVIDÊNCIAS CLÍNICAS CRESCENTES DO DESEMPENHO ALTAMENTE PREVISÍVEL DA SUPERFÍCIE SLActive® EM PACIENTES DIABÉTICOS:

Um novo estudo clínico19 que comparou o desempenho da SLActive® em pacientes com e sem diabetes demonstrou um desempenho irrepreensível dos implantes SLActive®:

  • taxa de sucesso de 100 % nos implantes no grupo diabético
  • Alterações ósseas semelhantes às dos indivíduos saudáveis
  • Apesar dos níveis inferiores de qualidade óssea observados, todos os implantes neste estudo demonstraram uma boa estabilidade primária.

Desempenho no
grupo de pacientes diabéticos19

100%
taxa de
sucesso de
Estudo clínico com
controlo de casos
(15 indivíduos diabéticos e
14 saudáveis)

Principais investigadores do estudo

O que dizem os médicos dentistas

TOP
Uma nova investigação mostra que a superfície SLActive® estimula uma resposta celular anti-inflamatória mais rápida em comparação com a superfície que não é SLActive a investigação mediu em vitro uma redução dos marcadores pro-inflamatórios* e um aumento dos marcadores anti-inflamatórios**
  • A superfície Roxolid® SLActive® estimula uma reacção anti-inflamatória precoce nas células20
  • A superfície SLActive® está associada a resposta anti-inflamatória mediada por macrófagos no estágio precoce da cicatrização tanto em animais diabéticos como saudáveis.Este pode ser um importante mecanismo que melhora a cicatrização óssea em condições sistémicas comprometidas. 21
Os dados mais recentes sobre a resposta celular anti-inflamatória de SLActive® foram apresentados na 95ª Sessão Geral da Associação Internacional para a Investigação Dental US:
 
Saiba mais
*Il1b, Il6, Tnfa, IL-1beta, IL-6, TNF-alpha, (pro-inflamatório)
**Il10, Tgfb1, Chil3, Rentla, IL-4, IL-10 (anti-inflamatório)
TOP
Descarregar a brochura SLActive®
TOP

Regeneração óssea acrescida.

Mesmo em locais comprometidos.

Enxerto ósseo
aperfeiçoado

Os defeitos ósseos podem comprometer grandemente a previsibilidade da osteointegração.

  • Num estudo pré-clínico recentey22, a SLActive® demonstrou uma formação significativamente superior de osso novo agregado no espaço de oito semanas, comparativamente com a superfície hidrófuga padrão Straumann® SLA®.

Formação de osso novo agregado às 8 semanas.

Perspectivas histológicas de osso agregado (osso novo e material de enxerto) 8 semanas após o enxerto.

O que dizem os médicos dentistas

TOP

Descubra o poder de cicatrização
da superfície de alto desempenho

O que dizem os médicos dentistas

TOP

BIBLIOGRAFIA

1 Straumann SLActive implants compared to Straumann SLA implants. Lang NP, Salvi GE, Huynh-Ba G, Ivanovski S, Donos N, Bosshardt DD. Early osseointegration to hydrophilic and hydrophobic implant surfaces in humans. Clin Oral Implants Res. 2011 Apr;22(4):349-56. doi: 10.1111/j.1600-0501.2011.02172.x.

2 Nicolau P, Guerra F, Reis R, Krafft T, Benz K , Jackowski J 10-year results from a randomized controlled multicenter study with immediately and early loaded SLActive implants in posterior jaws. Presented at 25th Annual Scientific Meeting of the European Association of Osseointegration – 29 Sep – 1 Oct 2016, Paris.

3 Patients  treated with dental implants after surgery and radio-chemotherapy of oral cancer. Heberer S, Kilic S, Hossamo J, Raguse J-D, Nelson K. Rehabilitation of irradiated patients with modified and conventional sandblasted, acid-etched implants: preliminary results of a split-mouth study. Clin. Oral Impl. Res. 22, 2011; 546–551.

4  Yerit, K., Posch, M., Seemann, M., Hainich, S., Dortbudak, O., Turhani, D., Ozyuvaci, H., Watzinger, R. and Ewers, R. (2006) Implant Survival in Mandibles of Irradiated Oral Cancer Patients. Clinical Oral Implants Research, 17, 337-344. http://dx.doi.org/10.1111/j.1600-0501.2005.01160.x

 5 Verdonck, H.W.D., Meijer, G.J., Laurin, T., Nieman, F.H.M., Stoll, C., Riediger, D., Stoelinga, P.J.W. and de Baat, C. (2007) Assessment of Vascularity in Irradiated and Non-Irradiated Maxillary and Mandibular Alveolar Minipig Bone Using Laser Doppler Flowmetry. International Journal of Oral Maxillofacial Implants, 22, 774-778.

6  Hu, W.W., Ward, B.B., Wang, Z. and Krebsbach, P.H. (2010) Bone Regeneration in Defects Compromised by Radiotherapy. Journal of Dental Research, 89, 77-81. http://dx.doi.org/10.1177/0022034509352151

7 Wang, R., Pillai, K. and Jones, P.K. (1998) Dosimetric Measurements of Scatter Radiation from Dental Implants in Stimulated Head and Neck Radiotherapy. International Journal of Oral Maxillofacial Implants, 13, 197-203.

8  Grotz, K.A., Al-Nawas, B., Piepkorn, B., Reichert, T.E., Duschner, H. and Wagner, W.(1999) Micromorphological Findings in Jaw Bone after Radiotherapy. Mund-, Kiefer- und Gesichtschirurgie, 3, 140-145.

9 Chambrone L, Mandia J, Shibli JA, Romito GA, Abrahao M. Dental Implants Installed in Irradiated Jaws: A Systematic Review. Journal of Dental Research. 2013;92(12 Suppl):119S-130S. doi:10.1177/0022034513504947.

10 Shugaa-Addin B, Al-Shamiri H-M, Al-Maweri S, Tarakji B. The effect of radiotherapy on survival of dental implants in head and neck cancer patients. Journal of Clinical and Experimental Dentistry. 2016;8(2):e194-e200. doi:10.4317/jced.52346.

11 Nooh N. Dental implant survival in irradiated oral cancer patients: a systematic review of the literature. Int J Oral Maxillofac Implants. 2013 Sep-Oct;28(5):1233-42. doi: 10.11607/jomi.3045.

12  Dholam KP, Gurav SV. Dental implants in irradiated jaws: A literature review. J Can Res Ther [serial online] 2012 [cited 2016 Aug 17];8:85-93. Available from: http://www.cancerjournal.net/text.asp?2012/8/6/85/92220

13  C. NACK, J.-D. RAGUSE, A. STRICKER , K. NELSON & S. NAHLES. Rehabilitation of irradiated patients with chemically modified and conventional SLA implants: five-year follow-up. Journal of Oral Rehabilitation 2015 42; 57—64

14  Nelson, K., Stricker, A., Raguse, J.-D. and Nahles, S. (2016), Rehabilitation of irradiated patients with chemically modified and conventional SLA implants: a clinical clarification. J Oral Rehabil, 43: 871–872. doi:10.1111/joor.12434

15 Devlin H, Garland H, Sloan P. Healing of tooth extraction sockets in experimental diabetes mellitus. J. of Oral Maxillofac. Surg. 1996; 54:1087-1091.

16  Wang F1, Song YL, Li DH, Li CX, Wang Y, Zhang N, Wang BG. Type 2 diabetes mellitus impairs bone healing of dental implants in GK rats. Diabetes Res Clin Pract. 2010; 88:e7-9.

17 IDF Diabetes Atlas, 7th Edition, 2015 http://www.diabetesatlas.org/

18 US Centers for Disease Control and Prevention. Diabetes 2014 report card. Available from: www.cdc.gov/diabetes/library/reports/congress.html. Accessed September 2015.

19 Machuca G., Cabrera J.J. “A prospective, case-control clinical study of titanium-zirconium allow implants with hydrophilic surface in patients with Type 2 diabetes mellitus” Manuscript submitted.

20 Hotchkiss KM, Ayad NB, Hyzy SL, Boyan BD, Olivares-Navarrete R. Dental implant surface chemistry and energy alter macrophage activation in vitro. Clin. Oral Impl. Res. 00, 2016, 1–10. doi: 10.1111/clr.12814

21  Lee R, Hamlet SM, Ivanovski S. The influence of titanium surface characteristics on macrophage phenotype polarization during osseous healing in type I diabetic rats: A pilot study. Clin Oral Impl Res (accepted 4/8/2016).

22 Straumann (2016). SLActive supports enhanced bone formation in a minipig surgical GBR model with coronal circumferential defects. Unpublished data

TOP